Você sabia que fazer a compatibilização de projetos pode te ajudar a economizar até 10% no valor final de uma obra? É isso mesmo! E levando em consideração o custo de uma obra, você vai perceber que esse valor é muito significativo.

E não é só isso. Você também poderá evitar estresses, problemas, atrasos, retrabalhos, entre outros. Eu não sei você, mas se eu posso escolher entre turbulência e calmaria, a segunda opção me agrada muito mais. Agora se você gosta de fortes emoções negativas, este artigo não é pra você. 😅

Foto de Karolina Grabowska no Pexels

Tá, mas o que é exatamente a compatibilização de projetos?

Primeiro, precisamos nos lembrar que quando estamos na etapa de projetos de uma obra, diversas especificidades estão envolvidas e cada profissional ficará responsável por projetar o seu segmento. Exemplo: projeto elétrico, hidráulico, estrutural, etc.

O comum é que para a elaboração desses projetos, seja utilizado como base apenas o projeto arquitetônico. Mas isso não é o ideal, pois pode causar conflitos e falhas futuras. Para evitar tudo isso, o correto é fazer a compatibilização de todos os projetos.

Ou seja, antes de iniciar a obra, esses projetos deverão ser elaborados e analisados em conjunto, para evitar possíveis problemas, resolver alguns e tomar decisões já nesta etapa, antes de colocar a mão na massa.

Foto de ThisIsEngineering no Pexels

Veja alguns problemas e interferências que a falta de compatibilização pode causar:

  • Quadros elétricos muito próximos às tubulações hidráulicas;
  • Problemas com o caimento na rede de esgoto por conta de uma limitação de trajeto;
  • Tubulações de hidráulica se chocar com uma viga de concreto;
  • Aplicação de parafusos em paredes onde estão localizados canos, mangueiras e eletrodutos;
  • Eletrodutos mal posicionados, com pontos de luz e de tomadas em locais distintos;
  • Sistemas de rede com interferência eletromagnética, entre outros.

Esses são só alguns exemplos dos diversos conflitos que podem acontecer por conta de projetos que não foram pensados em conjunto.

E com certeza, você vai concordar comigo que é melhor resolver isso na etapa de planejamento do que na hora da execução, não é mesmo?

Se deparar com esses problemas quando tudo já foi iniciado, pode gerar desgastes, retrabalhos e limitações de decisões. Na fase do projeto, você pode encontrar o melhor caminho para resolver esses conflitos.

Ainda não se convenceu? Então vou listar para você as vantagens de realizar um projeto compatibilizado.

Photo by Daria Nepriakhina on Unsplash
  1. Antecipação de erros.

Reforçando o que já falamos por aqui, a compatibilização de projetos vai prevenir erros que poderão causar desgastes, retrabalho, perda de tempo e dinheiro.

  • Orçamentos mais precisos.

 Quem não quer ter uma boa ideia do que vai gastar em uma obra?

Com a compatibilização de projetos é possível se planejar melhor. Pois geralmente o que causa gastos além do previsto são os erros e retrabalhos. Isso pode evitar que a obra seja pausada por falta de verba.

  • Mais economia,

Algumas pessoas, quando pensam em iniciar uma obra, já entram em desespero.

Isso acontece porque muitas vezes o que vem em mente são os atrasos, gastos imprevistos, erros e desgastes.

Com certeza esses traumas vieram de histórias ou experiências com obras mal planejadas ou projetos não compatibilizados.

Quando você planeja e alinha os projetos, você não perde dinheiro com retrabalhos e consegue economizar até 10% do valor total da obra.

  • Previsão de entrega

Quanto melhor você planejar e antecipar possíveis problemas, maior é a chance de concluir a obra no tempo estimado. Afinal, a chance de aparecer serviços que não estavam previstos reduz significativamente.

Photo by Priscilla Du Preez on Unsplash

Mas afinal, como fazer a compatibilização?

Um dos meios mais simples e conhecidos de fazer a compatibilização é criar a sobreposição de todos os desenhos por meio de programas 2D. Mas infelizmente, é uma maneira que ainda está suscetível a erros, pois pode ser ineficiente ao detectar todas as interferências que podem ocorrer entre todos os projetos.

Uma forma mais atual e eficiente para realizar a compatibilização dos projetos é a metodologia BIM, com desenhos em 3D. Com ela, os softwares conseguem analisar as interferências de maneira mais precisa e confiável, sendo possível ter uma maior visibilidade do conjunto de projetos.

Além disso, com ela você consegue simular situações e se deparar com diferentes cenários para encontrar as melhores soluções.

Quer ter acesso a mais conteúdos que podem te ajudar a facilitar e aprimorar o seu trabalho? Acompanhe a Arquibox pelas redes sociais e leia os outros artigos aqui do blog.

Esperamos que essas informações tenham sido úteis para você.